Um dia na Fábrica – PARTE IV

Sola ou rasto, é a zona de contacto entre o sapato e o solo. É ela que sofre todos os embates, que sofre todo o desgaste e que sustenta todo o peso de quem os usa. E os nossos pequenotes sabem bem como dar-lhes uso e até mesmo rompê-las até quase desaparecerem!

As solas podem ser fabricadas nos mais variados materiais: em borracha (as mais comuns e mais confortáveis), em couro (as mais tradicionais e muito usadas no calçado de cerimónia), em tecido ou pele (no caso do calçado dos mais pequeninos quando ainda andam somente ao colo)…e muitos mais.

A “instalação” das solas nos nossos quase-sapatos é um processo relativamente simples, mas envolve alguns cuidados. Em primeiro lugar, as solas são separadas e agrupadas por números. Isto para evitar a confusão. Já viram o que seria termos sapatos de tamanho 20 com uma sola 21 ou 22? Ficaria muito, mas muito estranho…. Em seguida, as solas são “lavadas”e cardadas. Esta tarefa é bastante crítica e requer equipamentos de proteção: são usados alguns solventes que ajudam na tarefa e todo o cuidado é pouco.

A lavagem da sola (no caso das solas de borracha) tem como objetivo remover vestígios de gorduras que podem prejudicar a sua colagem mais adiante. Com o pincel: zás-zás…sola atrás de sola todas elas levam uma limpeza completa. Em seguida segue-se o processo de cardagem. A cardagem pode ser de dois tipos: mecânica ou química. No caso das solas em borracha (as que aplicamos na maioria dos nossos modelos) aplica-se uma solução líquida que “ataca” a superfície da sola que ficará em contacto com a palmilha do sapato. Este ataque químico ajuda a que a cola tenha maior resistência. No caso das solas de couro é comum usar-se a cardagem mecânica que não é mais do que passar uma lixa de modo a tornar rugosa a superfície que vamos colar.

Pegando novamente no caso das solas em borracha: coloca-se as colas apropriadas, quer na sola quer no sapato e colocam-se ambos no ativador. O ativador não é mais que um dispositivo que aquece até uma determinada temperatura ambas as peças a colar. Quando esta é atingida, juntam-se rapidamente as duas partes, estica-se e ajusta-se a sola ao sapato (cuidado, a cola não pode ficar visível!), dá-se o jeitinho com o martelo e zás: coloca-se o sapato debaixo de uma prensa! Esta máquina aperta a sola contra o sapato durante alguns segundos para que a colagem seja homogénea. Retira-se o sapato e pronto: está a sola colada.

No calçado Loja da Carneira, este é o saber que vai juntamente com cada par. O cuidado e o rigor. O melhor que o nosso país pode dar.

Ora, sapatinhos novamente no carrinho e falta dar-lhe o mimo final…

Confinamento e o calçado das crianças…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Navegação
Fechar

O meu carrinho

Fechar

Favoritos

Visualizado recentemente

Fechar

Bem-vindo à Loja da Carneira!

Os seus dados pessoais serão usados para apoiar a sua experiência em todo este site, para gerir o acesso à sua conta e para outros fins descritos na nossa política de privacidade.

Já tem uma conta?

Fechar

Categorias